5 modelos de relógios que são verdadeiras joias

5 modelos de relógios que são verdadeiras joias

Colares, brincos, pulseiras, braceletes. Existem acessórios que fazem toda a diferença no visual e passam a ideia de poder e luxo, entre eles, os relógios. Quem nunca reparou naquele Rolex que o tal jogador de futebol estava usando, não é? Mais do que simples objetos, existem modelos que são verdadeiras joias e custam verdadeiras fortunas, chegando à, literalmente, milhões de dólares. Ficou curioso? Confira agora alguns dos modelos mais caros do mundo.

5 – Piaget Emperador Temple (U$3,3 mi)

O acessório possui muitos detalhes em diamantes, e apresenta uma variedade em suas funções, como se fosse um relógio duplo. O primeiro mostrador, que traz a riqueza da Polinésia com suas madrepérolas, está escondido através de uma abertura que sobrepõe o outro relógio. Até hoje, apenas um relógio desse estilo foi produzido e comercializado pelo valor acima (cerca de R$12 milhões), mas, caso você queira desfilar com esse acessório por aí, a Piaget aceita encomendas.

4 – Louis Moinet Meteoris (U$4,6 mi)
O que torna esse relógio tão especial é que ele possui um dos fragmentos do meteorito lunar Dhofar 459, descoberto em Omã, em 2001. Além disso, toda sua base é de ouro branco. Esse modelo faz parte de uma edição exclusiva e limitada, já que apenas apenas 4 peças foram confeccionadas, cada uma com um pedaço da rocha espacial.

3 – Hublot Big Bang (U$5 mi)
O Big Bang é, entre as peças deste post, o mais parecido com uma joia. A peça conta com 1280 diamantes (sim), de três quilates cada um. A marca levou cerca de três anos para conseguir reunir todos os diamantes necessários para produzir o relógio. Ainda, cada diamante foi trabalhado manualmente por um joalheiro de Nova Iorque, para que todas as peças tivessem as mesmas características.

2 – Patek Philippe Henry Graves Super Complication (U$11 mi)
Criada pelo banqueiro Henry Graves em parceria com a empresa Patek Philippe, essa peça é um dos relógios de bolso mais caros do mundo. A peça supercomplexa é composta de ouro maciço de 18 quilates e tem 24 funções, entre eles, um cronômetro que funciona de hora em hora, um alarme para minutos, além de um visor que mostra os principais edifícios de Nova Iorque. A peça foi adquirida inicialmente em 1999 em um leilão por um comprador anônimo pela quantia citada aí no título, mas, atualmente, a peça está exposta no museu dedicado ao fabricante Patek Philippe, localizado em Genebra, Suíça.

1 – Breguet Grande Complication Marie-Antoinette No. 160 (U$30 mi)
Conhecida como The Queen ou Marie Antoinette, a peça foi criada por Abraham-Louis Breguet, um relojoeiro suíço. A história diz que a joia foi criada a pedido de um dos amantes da rainha francesa e, apesar de Breguet ter iniciado o trabalho em 1782, foi apenas em 1827 que a peça ficou pronta, quatro anos depois da morte do relojoeiro e alguns anos após a rainha ter sido enviada à guilhotina.
Toda sua estrutura é composta por ouro e seu mecanismo interno fica exposto, dando um design diferente à peça, além disso, Breguet utilizou pedras de safiras em seu mecanismo para reduzir o atrito entre as peças. Apenas uma joia foi produzida no mundo e fazia parte de uma coleção especial do L.A. Mayer Institute for Islamic Art de Jerusalém. Nos anos 80, a peça foi roubada, mas em 2007 foi recuperada e tornou-se objeto de desejo para colecionadores.
Uma réplica do The Queen, criada pelos profissionais da atual relojoaria Breguet, foi avaliada em U$10 milhões, já a peça original, como vemos acima, é estimada em cerca de R$120 milhões.

Gostou do nosso conteúdo? Assine nosso newsletter e fique por dentro de todas as novidades em relojoaria. Visite também a loja virtual da Next Time e conheça modelos tão bonitos quanto esses daí de cima – e o melhor, bem mais em conta.